Deus me proteja dos amigos, porque os inimigos eu conheço...

 

"Amigos não tem custo nem preço. Amigos tem valor!"

Certa vez ouvi do amigo Paulo César Pires de Andrade, ex-vereador pimentense, advogado de renome por exclusiva culpa da elevada competência, uma frase carregada de fraternidade. Paulo Andrade, o Paulinho da Coca-cola, disse que "amigos não têm custo nem preço. Amigos têm valor!" A frase encravou-se em mim, sobretudo porque foi usada no momento adequado.

O prestativo Dr. Paulinho acabara de me ajudar numa importante questão e eu tentava discutir com ele o melhor meio para que pudesse retribuir.

       Na ocasião o nível de auto-estima em mim estava abaixo da reserva. Aquele "amigos têm valor!" dito por Paulinho numa sinceridade quase palpável, mostrava que eu não estava sozinho, que nunca estive e jamais estarei.

Rei Salomão era pobre...

Salomão foi o terceiro rei de Israel. Era filho de Davi e Bate-Seba, irmão de Adonias. Comandou o "vuco-vuco" por lá durante quarenta anos (1009 a 922 A.C) e não se meteu em nenhuma guerra. É citado como o mais sábio dos reis e também o que acumulou mais tesouros.

Só que a "tramitação" do esquema que transformou Salomão em rei não foi simples. Adonias era o primogênito de Davi e, portanto, herdeiro natural do trono.

Porém, talvez por efeito de uma eficiente campanha publicitária , acreditava-se que Salomão tinha que ser rei porque era vontade Divina.

Sua mãe, Bate-Seba, o Sumo Sacerdote Zadoque e o profeta Natã decidiram que Salomão seria rei, obtendo a aprovação do rei Davi, extremamente idoso e enfermo.

Presumo que "a capivara mordeu o cano da garrucha" por lá, justamente porque Adonias e sua turma não devem ter admitido a manobra sem questionamentos.

Enfim, a primeira providência de Salomão como rei foi ordenar a captura e execução do pessoal da oposição, sem direito a recursos e nem "habeas-corpus". Não procurei saber se Salomão livrou a cara do irmão Adonias...

Salomão era mesmo pobre

Depois de bisbilhotar a vida da família real, tentarei justificar essa idéia de que Salomão era pobre, mesmo tendo incalculáveis tesouros. Eram tantos que muita gente ainda procura aqui perto mesmo, no distrito de Urucumacuã, onde estariam localizadas as lendárias minas do Rei Salomão, imensas cavernas abarrotadas de riquezas, lacradas e encobertas pela floresta.

E antes que eu me enfronhe também na lenda de Urucumacuã, esclareço que acredito ter tesouro muito maior do que poderia imaginar o Salomão. Minha fortuna está espalhada por ai, representada pelos muitos amigos. Tenho convicção pessoal de que não existe nada no mundo que tenha tamanho valor quanto um amigo.

Sou, portanto, mais rico que o rei Salomão. E alguém ai pode até argumentar que o rei poderia ter tido amigos, sim senhor! Será mesmo que um sujeito que vira rei depois de "driblar" o irmão e manda executar todo mundo que lhe contrariava, poderia ter amigos?

Não há dúvidas que Salomão tinha amigos verdadeiros. Todo mundo tem amigo. Amigo talvez seja uma das poucas coisas que representam bem a tal igualdade social.

Nem precisa ser rei. Qualquer um que tenha poder ou dinheiro viverá rodeado de "amigos". E o rei Salomão jamais teve mais amigos do que eu acredito ter. Levo vantagem nisso porque no tempo do rei Salomão a população não era nem um por cento do que se tem hoje e, prá piorar, Jesus Cristo ainda não tinha vindo ao mundo, de maneira que conceitos sobre fraternidade e amor ao próximo eram totalmente desconhecidos. Eu acho que naquele tempo era difícil, muito difícil fazer amigos...

Que Deus me proteja dos amigos...

Falar de amigos é sempre bom. Lembrar de amigos que acabaram encobertos pela névoa do tempo, mas que permanecem na memória, ajuda a reavivar lembranças, agradáveis ou não.

Não é necessário que um amigo fique o tempo todo por perto para que possamos saber que temos um amigo.

Amigo vem para a festa quando é convidado, mas aparece na hora de dor sem ser chamado.

Amigo é aquele cara que pergunta pra gente como estamos e fica esperando a resposta.

Amigo não se sacrifica pela gente toda hora, porque amigo existe para caminhar ao lado da gente e não para nos carregar.

Amigo é aquele cara abusado que esculhamba com a gente, tentando nos convencer a não cometer idiotices. E quando a gente não escuta e quebra a cara, lá está pronto para ajudar, sem ficar repetindo aquele "eu avisei, eu avisei..."

Amigo verdadeiro conhece nossas limitações e por isso jamais nos pede aquilo que não podemos fazer ou que para fazermos teríamos que ir ao limite das nossas forças. Um amigo mesmo nunca pediria prá você cuidar do seu cachorro Pitt-bul enquanto passa um mês viajando, sabendo que você morre de medo do bicho.

Amigo é aquele cara que está sempre pronto para debater conosco assuntos que eventualmente estão nos afligindo. Ao invés de posar de conselheiros, amigos nos ajudam a buscar soluções.

Amigo verdadeiro nos defende com a verdade e nunca procura nos proteger com a mentira.

Amigo atende sua ligação às quatro da madrugada, sai de casa para ter resgatar numa festa, totalmente bêbado, e no outro dia não chega te perguntando "e aí, sarou", na frente dos colegas de trabalho. Amigo mesmo faz isso duas ou três vezes, no máximo. Depois disso vai querer que você se cuide mais e deixe de ser beberão. E nunca mais vai te resgatar. Só que se preocupa e manda um táxi...

Narrar proezas que amigos fazem por outros amigos é uma missão inacabável. Já observou que a reação de um amigo diante de qualquer situação tensa para você é sempre pautada na racionalidade? Pois é. Um amigo sempre usa a razão para te amparar nos momentos em que dor ou tristeza colocam suas decisões sob comando emocional.

E estamos aqui, falando de amizades, por duas razões. Primeiro, para agradecer aqueles amigos que prestigiam essa mini-revista eletrônica, criada sem grandiosas intenções editoriais. E segundo porque lá se vai mais um ano e, graças a Deus, fiz muitos novos amigos, de maneira que o ano foi altamente lucrativo. Alguns amigos mudaram-se para o plano celestial, mas continuam sendo os mesmos amigos de sempre, lembrados com muito. Alguns estão geograficamente longe, mas ficaram próximos graças à internet (abraços Ezequiel e Lia).

Manter os amigos que tenho e fazer novos amigos é algo que sempre guiou minha vida. Até hoje, porém, não consegui entender com total clareza o que meu saudoso pai queria mostrar dizendo "Peço a Deus que me proteja dos amigos, porque os inimigos eu conheço."

Penso que aquele pernambucano que não era de muita prosa queria dizer que um inimigo teria pouca chance de apanhá-lo desprevenido. Já um amigo nunca seria alvo de cuidados, de maneira que para eles sempre estaremos desprevenidos. Meu pai também poderia estar dizendo que por mais que se tenha afeição por alguém, nunca será possível conhecer verdadeiramente nosso semelhante.

Particularmente, sou de opinião que amigo meu não tem defeito. Inimigo, se não tiver, eu arranjo...

BENÊ BARBOSA



Escrito por Benê Barbosa às 04h12
[] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog